(Portuguese) C40 Voices: Adalberto Maluf, Diretor C40 para São Paulo, sobre Mobilidade Sustentável em Ambientes Urbanos

Participantes-chave do Programa de Teste de Ônibus Híbrido e Elétrico na América Latina da C40-CCI, incluindo funcionários de governos municipais e operadores locais de ônibus estão numa missão técnica ímpar em algumas cidades C40 ao redor do mundo, para averiguar e investigar as melhores práticas de políticas de transporte, bem como o desempenho e economias de diferentes tecnologias de ônibus. A viagem foi organizada e liderada por Manuel Olivera, Diretor do Programa de Teste de Ônibus Híbrido e Elétrico. Em um relato direto do campo, Adalberto Maluf compartilha sobre a viagem até agora…

Funcionários de prefeituras e operadores de ônibus de cidades C40 de Bogotá, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo - as cidades participantes do Programa de Teste de Ônibus Híbrido e Elétrico C40 –CCI, visitaram seus colegas nas cidades C40 da Cidade do México, Londres e Estocolmo para aprender e compartilhar experiências sobre a operação de ônibus de baixo carbono, bem como os resultados de novas infraestruturas para priorizar o transporte público, especialmente os sistemas BRT - Bus Rapid Transit. Esta missão técnica é uma atividade que integra o Programa de Teste de Ônibus Híbrido e Elétrico da C40-CCI, que é financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A capacidade de levantamento das práticas e políticas locais dessas cidades, que estão na vanguarda do transporte de baixo carbono, vem permitindo aos participantes do nosso Programa apreender diversas novas idéias e um profundo conhecimento para aplicar na implementação de avanços nos sistemas de transporte público, quando retornarmos às nossas cidades de origem na América Latina.

Milena Martinez Palacio, Gerente Geral da Organização Suma S.A, um operador de ônibus no BRT Transmilênio e do sistema integrado de ônibus em Bogotá teve isto a dizer: 

“Esta viagem está sendo uma oportunidade extraordinária para aprender sobre novas tecnologias sustentáveis para ônibus diretamente nos locais onde estão sendo utilizadas. Ter a oportunidade de discutir com os operadores de ônibus que têm utilizado estas tecnologias nos têm dado mais confiança, e também ressaltou a importância de nós fazermos parte desta mudança.”

Cidade do México

Na Cidade do México, o grupo observou o funcionamento dos primeiros ônibus híbridos da cidade que são híbridos paralelo de piso baixo. As primeiras oito unidades estão operando desde abril de 2012 e provaram reduzir as emissões e o consumo de combustível significativamente. Também tivemos a oportunidade de visitar a operação da nova linha de BRT da Cidade do México, - linha 4 do Metrobus - que reduziu significativamente o tempo entre o aeroporto internacional e o centro da cidade, bem como melhorou as condições de tráfego, reduzindo o congestionamento e aperfeiçoou a qualidade do ar no centro histórico. Agora, as principais ruas no centro de Cidade do México são 100% dedicadas à pedestres e transporte público, melhorando o espaço público e as atividades empresariais de forma dramática.

E a Cidade do México quer mais. Cinco (5) novas linhas de BRT estão programadas para entrar em operação nos próximos 6 anos, adicionando mais de 100kms de linhas de ônibus exclusivas a um custo de US$ 4 milhões por quilómetro. Quando terminar, estas novas linhas irão melhorar a mobilidade de mais 2 milhões de passageiros na Cidade do México.

Line4 Metrobus3

Londres

Do México, o grupo viajou para Londres, onde se reuniu com a Transport for London (TfL-Autoridade Pública de Transporte). TfL compartilhou sua experiência de mais de quatro anos operando ônibus híbridos e elétricos. Londres tem uma das maiores frotas de ônibus híbridos no mundo, com 316 veículos operacionais, tanto híbridos série e híbridos paralelos, de diversos fornecedores. "É sempre bom vermos esses ônibus numa operação real, para que possamos aprender em primeira mão sobre os desafios e os benefícios de cada tecnologia", disse Élcio Karas, gerente de Transportes da URBS - Urbanização de Curitiba, cidade C40 bem conhecida pelo pioneirismo nos projetos de BRT em 1974. "Nós introduzimos os primeiros 30 híbridos em Curitiba, e é bom ver que estes resultados são muito promissores, tanto como uma solução ambiental quanto econômica às mudanças climáticas e poluição local do ar", acrescentou o Sr. Karas.

Foi importante vermos que, apesar de sua grande rede de metrô, Londres também expandiu suas linhas de sistemas exclusivos de ônibus e está investindo em frotas de baixo carbono, uma vez que os ônibus continuam representando a maioria do número de passageiros no transporte público na cidade.

Group London Operator

Estocolmo e Gotemburgo

Após Londres, o grupo visitou outros importantes líderes ambientais em Estocolmo, uma cidade C40, e Gotemburgo, uma cidade com extenso conhecimento a compartilhar sobre a operação de frotas de ônibus híbridos. Visitamos alguns operadores de ônibus que utilizam biogás (feito a partir de resíduos sólidos urbanos e esgoto) e outros combustíveis sustentáveis como o etanol (feito de cana de açúcar produzido no Brasil), bem como dimetil éter (DME) feito a partir de resíduos de celulose. Estudamos espaços públicos locais e redes de bicicleta e compartilhamos experiências na promoção de transporte não motorizados e melhoria de serviços para pedestres.

A maioria das frotas de ônibus de Estocolmo operaram com combustíveis renováveis e as quatro principais linhas de ônibus tronco dentro da cidade têm aumentado a participação do transporte público no mix global de opções de transporte disponíveis para moradores da cidade.

Em Gotemburgo, apesar de sua grande rede de veículos leve sobre trilho, a cidade vem focando na expansão das frotas de ônibus de baixo carbono, pois acreditam que representa a melhor solução econômica e ambiental para a cidade. Pudemos compreender como o modelo de negócio para os híbridos poderia ser viável. Após testar 25 unidades híbridas por muitos meses, a cidade adquiriu 25 novos ônibus híbridos (de um total de 52 veículos novos), com base em seu custo de ciclo de vida por 8 anos de operação, junto com favorável contrato de serviço de manutenção. Os resultados iniciais são promissores.

Em breve…

Em seguida, nos dirigimos para as cidades C40 de Xangai e Hong Kong, bem como Shenzhen, na China para visitar fábricas de ônibus híbridos e elétricos, assim como operadores de ônibus e funcionários do governo local em cidades que estão operando grandes frotas de ônibus de baixa emissão de carbono. Fique atento para nosso relato a partir destas cidades líderes na Ásia.

Lançado em junho de 2011, o Programa de Teste de Ônibus Híbrido e Elétrico da C40-CCI visa reduzir a pegada de carbono do transporte público na América Latina e desenvolver um mercado de ônibus de baixo carbono, de alta eficiência no uso de combustível. Ele testa o desempenho de tecnologias de ônibus em condições de condução e ciclos de rodagem específicas de cidades e, através da publicação dos resultados, estabelece um caso de investimento em ônibus híbridos e elétricos. O relatório final do programa será publicado no início de 2013.